Os 5 comportamentos machistas mais comuns nas escolas


Escola

A escola é um local de aprendizagem, um ciclo essencial na vida de toda e qualquer pessoa, pois a busca por conhecimento faz crescer. Mas, é comum vermos, pelas dependências das instituições de ensino, a reprodução de atitudes sexistas – principalmente por parte dos meninos – e o pior: passam desapercebidas e são banalizadas.

O machismo está tão enraizado na sociedade, que algumas coisas extremamente desnecessárias e até ofensivas são consideradas comuns. O ambiente escolar é prova disso. Separamos cinco – mas poderiam ser cem – atitudes machistas que alunos cometem diariamente, com total liberdade e, ao invés de repreendidos, são apoiados e incentivados.

5. Piadas sobre aparência 

Os 5 comportamentos machistas mais comuns nas escolas

É extremamente normal, seja pelas salas, corredores ou páteos, ver meninos julgando e fazendo brincadeiras com garotas por causa de sua aparência. Isso é grave, pois une bullying e machismo em uma pequena atitude que, muitas vezes, parece inofensiva. Mas não é.

O MACHISMO ESTÁ ENRAIZADO NA SOCIEDADE, ALGUMAS COISAS EXTREMAMENTE DESNECESSÁRIAS E ATÉ OFENSIVAS SÃO CONSIDERADAS COMUNS

4. Mesmo peso, duas medidas

Algumas coisas são permitidas para meninos, por serem consideradas “coisas de homem”, e não tem punição. Mas, caso venha da mulher, é errado e deve ser corrigido, pois “uma jovem não deveria agir dessa forma”. Este pensamento, além de retrógrado, é machista. Pessoas são iguais, independentemente de seu gênero. O tratamento também precisa ser assim.

3. Tratar garotas como objeto

Ser homem não dá o direito divino de objetificar o sexo oposto. Mulheres não podem e nem devem ser tratadas como uma coisa, que pode ser usada e jogada fora, analisada e criticada por seu visual. Esse tópico também inclui cantadas toscas e mexer com quem passa pelos ambientes do colégio.

É COMUM VERMOS, PELAS DEPENDÊNCIAS DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO, A REPRODUÇÃO DE ATITUDES SEXISTAS – PRINCIPALMENTE POR PARTE DOS MENINOS

2. “Proibido para garotas”

Na educação física, meninos jogam futebol e meninas vôlei. Se uma quiser chutar a bola ao invés de empurrá-la com as mãos por cima da rede? Não pode. É coisa de homem. Mulher não joga futebol. Esse é apenas uma das inúmeras situações vividas por jovens diariamente nas instituições de ensino.

1. Subjugar e inferiorizar

Nunca, jamais, em hipótese alguma, ache que uma mulher não tem competência suficiente para falar sobre qualquer assunto, principalmente aqueles que os homens pensam ser exclusivamente deles. Subestimar a inteligência por causa do gênero mostra quem realmente é burro.


Gostou? Compartilhe com os seus amigos!

0

Deixei seu comentário